10 Fatos sobre o Pug que Você Precisa Conhecer

O pug é um “pequeno grande cachorro” que conquistou o coração de todo mundo.

Tanto que hoje é uma das raças mais queridas e procuradas em vários países – e no Brasil não é diferente.

Se você sempre teve curiosidades sobre o pug ou tem um e quer saber um pouco mais…

Acompanhe o artigo de hoje para saber tudo sobre esse baixinho simpático!

Conhecendo o cachorro pug

Como todo cão de raça, o pug tem algumas características fáceis de se reconhecer.

Embora cada cão tenha sua individualidade, é possível apontar alguns comportamentos comuns e detalhes anatômicos inconfundíveis.

Os pugs pesam em média 10 kg, medindo cerca de 30 cm. A longevidade da raça vai dos 12 aos 15 anos.

Mas como sabemos, cada vez mais os cães têm aumentado sua expectativa de vida, dependendo de como são cuidados (como veremos mais adiante).

Agora, saiba tudo sobre o pug:

1 – Ele tem o focinho achatado

cachorro pug

Esse é um detalhe fofo que literalmente “está na cara”, assim que olhamos para um pug.

Eles são cães braquicéfalos, ou seja, seus focinhos são achatados com relação ao crânio.

Outros exemplos são os buldogues (tanto o francês quanto o inglês), o boxer e o shih tzu.

Essa característica é resultante de sucessivos cruzamentos que foram dando origem à raça.

Ao longo do tempo, os criadores selecionaram os animais com os focinhos mais achatados, e o traço foi passando pra frente até termos o pug no “formato” atual.

É importante prestar atenção a esse detalhe anatômico, pois ele interfere em outros aspectos dos cuidados necessários para um pug.

2 – Pode ter origem oriental

A origem do pug é motivo de discussões, mas é aceito que eles surgiram na China antiga, mais ou menos por volta de 700 a. C.

Sim, os pugs podem ser muito mais antigos do que imaginamos!

Mas o que os especialistas destacam é que, nessa época, a raça era bem diferente da que conhecemos hoje.

Foi a partir do século XVI que o pug chegou à Europa, fazendo sucesso entre a realeza.

Nesse período teriam começado as primeiras criações de pug, bem como os cruzamentos que deram origem às características atuais da raça.

3 – É um grande companheiro

Não é à toa que os pugs eram queridos nas cortes reais. Eles são ótimos cães de companhia, e costumam ser apegados aos tutores.

Há inclusive registros de que a Imperatriz Josefina, esposa de Napoleão Bonaparte, tinha um pug que era “rival” do imperador…

Muitas vezes, ele não deixava que ele chegasse nem perto dela!

E, de fato, em alguns casos o pug pode ser territorial, o que somado ao apego resulta nesse tipo de situação.

Mesmo assim, todos concordam que se trata de uma raça simpática.

Se bem educado, com certeza esse pequenino se tornará um grande amigo!

4 – É inteligente, mas pode ser teimoso

Sim, o pug é inteligente. E com alguma persistência, pode aprender a se comportar bem – e até alguns truques.

Mas deve-se ter em mente que esse cãozinho é conhecido por ser um pouco teimoso.

Esse traço do temperamento pode exigir um pouco mais de paciência para o treinamento, porém, vale a pena dar mais educação ao seu pug.

Ele tem plena capacidade de conseguir!

5 – Tem cores diferentes

blank

Embora o pug com o focinho mais escuro e a pelagem mais clara seja o mais famoso, a cor pode variar em:

  • Fulvo – a mais comum, com o focinho escuro e a coloração puxando para o creme;
  • Abricot – parecido com o fulvo, mas com uma tonalidade mais alaranjada;
  • Branco – quase toda a pelagem é bem branquinha;
  • Prata – possui uma tonalidade acinzentada, que é considerada rara;
  • Preto – sem variação de cores nos pelos, ele é totalmente negro;
  • Tigrado – quando o pug tem algumas listras pretas e marrons.

6 – Tem os olhinhos saltados

Quem já viu o pug ou convive com um em casa, já notou como essa raça tem o olhar expressivo.

E um detalhe muito importante é que os olhos são um pouco saltados, o que requer cuidados especiais.

O detalhe anatômico aumenta certos riscos para a saúde da visão do pet.

Eles vão desde a possibilidade de machucar os olhinhos em alguma batida ou brigas com outros pets até o ressecamento ocular.

Então, vale a pena sempre conversar com o veterinário e checar como andam os olhos do seu amigo.

7 – Solta bastante pelo

Se engana quem pensa que por ter pelo curto, o pug não solta pelos.

Ele solta sim. E muito!

Mas qualquer pessoa que queira ter um cãozinho precisa ter consciência de que os pelos, em alguns momentos, vão cair!

Quando acontece em excesso, é claro, pode ter algo de errado, como já comentamos em outro artigo (clique aqui para ler).

Uma dica interessante para quem tem um pug em casa é sempre escová-lo, o que ajuda a remover os pelos mortos e abrir espaço para uma pelagem novinha em folha.

8 – Precisa de cuidado com as dobrinhas

Você já deve ter notado como o pug tem dobrinhas na pele.

Elas são realmente muito fofas, mas requerem também cuidados extras.

Como todo cachorro que apresenta esse tipo de dobra, é preciso ter atenção se elas não estão acumulando umidade ou sujeira.

Além do banho com a frequência correta, deve-se ter bastante cuidado na hora de secar o pet.

Pode ser até mesmo preciso usar lencinhos ou produtos voltados para fazer esse tipo de limpeza com alguma regularidade.

Mas tudo depende do caso e da anatomia do seu cãozinho. Na próxima consulta, troque uma ideia com o veterinário sobre isso!

9 – Cansa com facilidade (mas precisa sim de exercícios)

Por ser pequeno e não precisar tanto de espaço, o pug é muito procurado por pessoas que moram em apartamento.

E, de fato, o pet se dá bem nesse ambiente.

Mas não se pode esquecer que mesmo não sendo tão ativo, ele também precisa de exercícios físicos.

Nenhum cachorro deve ficar sem atividades, como passeios e brincadeiras.

Porém, no caso dos pugs, os tutores não podem exagerar.

Por terem o focinho achatado, eles se cansam muito rápido ao se exercitarem. Então, não force!

Essa característica também faz com que a raça sinta mais calor.

Os passeios devem ser feitos de preferência nas horas do dia em que as temperaturas estão mais amenas.

O ideal, portanto, é ter equilíbrio. Nem exceder as capacidades do cão nem o deixar sedentário – o que nos leva ao próximo item…

10 – O pug tem tendência ficar gordinho

Agora que você chegou até aqui, provavelmente já deve estar imaginando…

Se o pug se cansa com facilidade (o que faz dele um pouquinho mais preguiçoso)…

Se não é tão ativo quanto outros cachorros…

E vive bem em locais menores, como apartamentos…

É bem provável que tenha tendência a ficar gordinho. Certo?

Bom, é isso mesmo.

blankTutores de pugs precisam ficar de olho na balança, porque todas as características da raça podem contribuir para que eles fiquem acima do peso.

Alguns chegam até à obesidade, que é extremamente prejudicial à saúde.

E para que isso não ocorra, além dos exercícios é preciso cuidar da alimentação!

A alimentação do pug

Embora seja possível encontrar rações especiais para pugs no mercado, a primeira coisa a se pensar não é qual ração oferecer…

Mas a quantidade que você vai usar!

Sempre dê a ração conforme as indicações da embalagem ou do seu veterinário, de acordo com a idade e o tamanho do seu cão.

Dar comida a mais pode ser um grande problema, afinal, como vimos, os pugs tem certa tendência à obesidade.

Se você tem um pug em casa, uma dica interessante é agregar à dieta um suplemento canino, como o Longevi.

Ele é um suplemento em pó sabor bacon para ser misturado com a ração que você já usa.

O Longevi é o primeiro super suplemento canino da América Latina, com mais de 2 funções chave cientificamente comprovadas.

São 42 vitaminas, minerais e micronutrientes essenciais para cães. Alguns deles são perfeitos para manter a saúde (e a boa forma) do seu pug.

Como, por exemplo:

Probióticos: São os lactobacilos que melhoram a flora intestinal, o que aumenta a imunidade, além de garantir energia e vitalidade. Ideal para animar até os cães que tendem a ser mais preguiçosos, como o pug, a fazerem exercícios.

Spirulina: Que possui 70% de proteína e 9 aminoácidos de alta digestibilidade, garantindo músculos mais fortes para seu cãozinho correr e brincar à vontade.

E esses são só 2 dos 42 ingredientes.

Para saber mais, o melhor a se fazer é ouvir a palavra de um profissional (e que tem mais de 30 cachorros em casa).

Julinho Casares, considerado por muitos um dos maiores especialistas em comportamento animal do Brasil, ficou conhecido pelo programa Bom pra Cachorro e pelo quadro “Enquanto meu dono não vem”, da Record.

Agora, ele conta sobre como o Longevi pode mudar a saúde, a disposição, a vitalidade e a longevidade dos cães.

Depois de ajudar tantos cachorros e seus tutores com os mais variados problemas de comportamento, veja o que ele falou sobre esse novo super suplemento.

É só clicar aqui e assistir.

Tanto para o pug quanto para qualquer raça, turbinar a alimentação é uma prova de amor ao seu pet!

 

 

Compartilhe nas Redes Sociais

blank
O original e mais reconhecido supersuplemento

Supersuplemento é um suplemento com mais de 2 funções chave, como por exemplo, ajudar a diminuir queda de pelos e aumentar o apetite. Um supersuplemento consegue entregar isso por ter propriedades nutricionais cientificamente validadas a fortalecerem mais de um marcador de saúde.

Você também pode gostar de…

Send this to a friend