Tem um Cachorro Estressado em Casa? Estas 7 Dicas podem Ajudar

Muitos tutores comentam que têm um cachorro estressado em casa, mas nem sempre eles sabem o que fazer para lidar com o problema.

Por outro lado, há os que não acreditam que os cães possam ficar estressados…

A verdade é que sim, o estresse canino é real, e assim como no caso dos humanos, cachorro estressado é coisa séria!

A ciência já demonstrou que o estresse em si é uma resposta natural do organismo a situações de alerta…

É por meio dele que os animais têm o instinto de “correr ou lutar” na natureza – o que garante proteção contra predadores e outros perigos, por exemplo.

Mas quando, por outros motivos, o estresse se torna contínuo, tem-se o chamado “estresse crônico”.

Nele, a carga frequente dos hormônios do estresse acaba prejudicando a saúde física e mental, já que não se dá em condições e quantidades normais.

Hoje muitas pessoas sofrem com o problema devido a rotinas estressantes do mundo moderno.

Com os cães, às vezes ocorre algo parecido.

As pesquisas mostram que o cachorro estressado pode desenvolver problemas mais sérios de saúde por causa disso.

Além das mudanças de comportamento, dependendo do caso, os impactos negativos acabam se estendendo a problemas cardíacos, gastrointestinais, renais e endócrinos.

Por isso, é importante saber identificar um cachorro estressado.

Uma vez que se constata o problema, é hora de agir!

Neste artigo você irá entender quais os principais sinais do estresse canino e algumas estratégias para prevenir e até resolver a questão.

Vamos lá!

Como identificar um cachorro estressado

Existem vários fatores que ajudam a identificar um cachorro estressado.

Tenha atenção, pois eles podem indicar também outros problemas, então o ideal a se fazer é observar seu pet e ir excluindo possibilidades.

Confira alguns sinais:

Agressividade

Seu amigo nunca foi brigão e agora está um pouco agressivo?

Está às vezes até atacando os membros da família?

Esse pode ser um sinal de cachorro estressado.

Comportamento destrutivo e agitação

Este é um comportamento muito comum em cachorros estressados.

O excesso de energia não gasta e o tédio podem levar o seu bichinho a se tornar destrutivo, roendo seus chinelos e até destruindo móveis!

Conhece um pet assim?

Muitos tutores acham que isso é algo “normal” e que seu cão é apenas bagunceiro ou agitado.

Mas já parou pra pensar que esses podem ser sintomas de um cachorro estressado e que precisa extravasar?

Latidos

Aquele cachorro que late muito, o tempo todo e aparentemente sem necessidade pode também estar estressado.

Este é mais um sintoma comum de estresse, mas que pode indicar outros problemas, como comentamos.

Se seu cachorro late demais, confira nosso outro post especial sobre o assunto clicando aqui.

Lambedura das patas

Alguns cães ficam lambendo as patas sem motivo aparente.

Essa lambedura, em excesso, em alguns casos ocasiona até feridas nas patinhas do animal!

cachorro estressado lambendo as patas

É o caso do seu amiguinho peludo?

Se sim, fique de olho. Além dele se machucar, pode ser a indicação de um cachorro estressado e que precisa de ajuda.

Pelos caindo

Sua casa virou um mar de pelos e, onde quer que você vá, encontra uma “lembrança” do seu amigo peludo?

A queda de pelos é um sintoma comum do estresse em cães, podendo ser motivada também por outros fatores.

Confira todos no nosso artigo especial sobre cães com pelo caindo. É só clicar aqui.

Coceira sem motivo aparente

Seu cãozinho coça daqui, coça dali… Coça o tempo todo!

Você logo pensa que devem ser pulgas ou carrapatos… Vai conferir, e nada!

Identificou essa história? Se sim, seu cão pode estar se coçando por estar estressado.

Cauda abaixada, desânimo e prostração

Nem todo cão reage da mesma forma ao estresse. Enquanto uns se agitam e destroem o que veem pela frente, outros mostram-se apáticos.

O desânimo e a prostração podem sim ser sintoma de um cachorro estressado.

Outros sinais na linguagem corporal são a cauda e as orelhas abaixadas, como se tivesse incomodado ou com medo de algo.

Se não há outro motivo aparente para esse comportamento, fique de olho. Pode ser estresse.

Falta de apetite

De uma hora pra outra seu cãozinho não se interessa mais pela comida?

A falta de apetite é também um dos sinais de cachorro estressado.

blank

Fique alerta caso isso ocorra, pois ao alimentar-se mal o seu amigo pode correr outros riscos de saúde, certo?

Dicas para redução do estresse canino

Agora que você já sabe identificar o estresse, é hora de descobrir como acalmar cachorro estressado.

Algumas mudanças simples de atitude podem ajudar bastante. Confira:

1 – Reduza o tédio

O estresse canino muitas vezes é uma consequência do tédio.

Cães entediados, sem atividades e solitários acabam ficando com energia acumulada.

Ela é botada pra fora com os comportamentos errados que comentamos mais acima.

Parece até contraditório, mas garantir uma vida mais agitada para seu cão – no bom sentido – é um fator de redução de estresse.

Continue lendo as dicas para ter mais ideias de como fazer isso da forma correta.

2 – Crie uma rotina

Sim, os cães precisam de disciplina e rotina!

Quando fazem suas atividades com frequência dentro de uma rotina, os cachorros se acostumam com seus horários.

Quem se organiza dessa forma já notou como o pet sabe que é hora de passear ou de comer.

Pois saiba que isso é bom para eles, deixando-os mais tranquilos com relação ao que vai acontecer no dia.

A falta de rotina pode deixar o cachorro estressado, então, se organize!

3 – Passeie

Atividade física.

Se é boa pra você, por que não seria boa também para o seu cachorro?

Um dos principais motivos de cachorro estressado é a falta de exercícios, que leva ao tédio e acúmulo de energia.

É fundamental caminhar sempre com o seu cachorro, de preferência mais de uma vez ao dia.

Os cães selvagens, no ambiente natural, passavam o dia caminhando em busca de comida, água e abrigo.

Essas necessidades evolutivas existem ainda hoje, e se você quer um cachorro mais calmo e saudável, deve sempre passear com ele.

Para ver algumas dicas para otimizar o seu passeio, confira aqui nosso post sobre o assunto!

4 – Brinquedos e brincadeiras

Outra forma de gastar a energia do seu cão e reduzir o estresse são as brincadeiras.

Use a criatividade: jogue a bolinha, corra, brinque de esconder… Ele vai adorar os estímulos.

cachorros brincando

Outra opção são os brinquedos especiais, que induzem o cão a gastar energia mental.

Um exemplo são aqueles onde se esconde o petisco preferido, exigindo do pet que ele quebre a cabeça para conseguir a recompensa.

5 – Faça companhia

Cães que ficam entediados por passarem muito tempo sozinhos podem também desenvolver o estresse.

Alguns entram até em estados de tristeza e depressão!

Se você passa muito tempo fora de casa e o seu amigo precisa ficar algum tempo sozinho, tente enriquecer o ambiente para que ele fique ocupado durante o período.

Pode-se usar os brinquedos inteligentes, como comentamos no último item, ou mesmo esconder alguns petiscos pela casa, para que ele passe o tempo “caçando” de mentirinha.

Se isso não resolver e você continuar com um cachorro estressado, entediado e triste em casa, uma ideia é buscar a ajuda de uma especialista em comportamento animal.

6 – Reduza o seu estresse

Quando falamos o “seu” estresse, estamos falando de você mesmo!

Alguns cães tendem a repetir o comportamento dos tutores, e por isso pessoas estressadas podem contribuir para cães estressados.

Pode ter certeza que minimizar o seu estresse fará muito bem para a sua saúde e também para a saúde do seu pet!

7 – Garanta nutrição adequada

A ciência já mostrou que muito do nosso estresse está ligado à forma como nos alimentamos.

Afinal, a condição nada mais é do que uma descarga hormonal determinada por situações ou sentimentos.

Pessoas que se alimentam mal, com pouca comida natural, vitaminas e minerais, tendem a ser mais estressadas do que as que comem bem.

Então…

Será que a alimentação do seu cãozinho também ajuda a melhorar o humor e lidar com o estresse?

É claro que sim!

Hoje, nossos cães geralmente comem ração seca, que até garante os nutrientes essenciais…

Mas acabam ficando de fora outras vitaminas, minerais, micronutrientes, fibras e enzimas intestinais que fazem a diferença!

Garantir tudo isso é o foco do Longevi, o primeiro super alimento para cachorros!

O Longevi é produzido com matéria prima natural, combinando, por exemplo:

  • Probióticos, que melhoram a flora intestinal, promovendo imunidade, saúde cerebral e energia;
  • Biotina, uma vitamina do complexo B que promove pelo, ossos e unhas mais fortes, bonitos e saudáveis;
  • Spirulina, um suplemento obtido a partir de microalgas com alto perfil de proteínas, possuindo 9 aminoácidos essenciais para os cães;
  • Minerais como magnésio e selênio, amplamente importantes a cognição, memória, imunidade e combate de radicais livres…

E esses são só alguns…

Ao todo, são 42 ingredientes que melhoram a nutrição, o humor, controlam a energia e o ânimo do seu amigo.

Ao turbinar a parte nutricional, pode ter certeza que a chance de ter um cachorro estressado, ansioso e entediado serão bem menores!

Quer conhecer melhor o Longevi?

Para isso, nada melhor do que ouvir as palavras de um dos maiores especialistas em comportamento animal do Brasil.

Clicando aqui você vai assistir ao vídeo gravado pelo Julinho Casares, apresentador do programa Bom pra Cachorro e do quadro “Enquanto meu dono não vem”, da Record.

Nele, Julinho explica como funciona o Longevi e dá sua opinião sobre este suplemento canino transformador de “supercães”. Confira e se surpreenda!

Compartilhe nas Redes Sociais

blank
O original e mais reconhecido supersuplemento

Supersuplemento é um suplemento com mais de 2 funções chave, como por exemplo, ajudar a diminuir queda de pelos e aumentar o apetite. Um supersuplemento consegue entregar isso por ter propriedades nutricionais cientificamente validadas a fortalecerem mais de um marcador de saúde.

Você também pode gostar de…

Send this to a friend