Diabetes em Cachorro: 6 Principais Sintomas, Tratamentos e Prevenção

blank

Por Redação Petvi

Acreditamos que a nutrição personalizada é a chave para uma vida feliz – e é por isso que nos esforçamos para fornecer ao seu animal de estimação as soluções nutricionais mais avançadas do mercado.

25/11/2020

Uma das principais doenças que tem afetado os seres humanos hoje em dia é a diabetes mellitus. Mas você sabia que ela também pode ocorrer nos cães?

Infelizmente, a diabetes em cachorro vem aumentando ao longo do tempo.

Segundo pesquisas, nos últimos 30 anos a porcentagem de cães que desenvolvem a doença praticamente triplicou!

A boa notícia é que, durante esse período, a medicina veterinária também avançou bastante.

Se tempos atrás os pets diabéticos viviam menos, hoje eles podem ter uma expectativa de vida similar aos dos cachorros saudáveis.

Mas isso depende, é claro, de se tomar alguns cuidados especiais e tratar o problema corretamente.

Acompanhe este artigo até o final para conhecer as causas, sintomas e as melhores dicas para o tratamento de diabetes em cachorro!

Entendendo a diabetes

A diabetes canina é similar àquela que ocorre nos humanos.

Tanto o nosso corpo quanto os dos nossos amigos produzem a insulina, hormônio que regula a glicose sanguínea – ou seja, os níveis de açúcar no sangue…

Ao fazer isso, ela promove a entrada dessa glicose nas células, o que garante a energia necessária ao funcionamento do organismo.

Em outras palavras, a glicose é o “combustível” do corpo!

Mas, pode ocorrer um probleminha…

Por diversos motivos, às vezes o organismo produz menos insulina do que o necessário…

Ou a quantidade do hormônio não é suficiente para cumprir seu papel!

Dessa forma, o sangue fica com excesso de açúcar, o que pode prejudicar os órgãos, vasos sanguíneos e nervos.

Além disso, como a glicose não alimenta as células da forma correta, ocorrem outras alterações prejudiciais no metabolismo. Veja agora quais são elas!

Sintomas de diabetes em cachorro

O diagnóstico da diabetes em cachorro deve ser feito pelo veterinário.

Mas existem alguns sintomas aos quais se deve ter atenção, pois podem indicar a diabetes canina.

Se seu cãozinho está apresentando alguns desses sinais e você não sabe o motivo, é hora de marcar uma consulta para investigar a fundo o que pode estar acontecendo.

Os principais sintomas são:

1 – Xixi a toda hora

Cães com diabetes tendem a aumentar o volume de xixi.

Costuma ser um sintoma facilmente reconhecível por muitos tutores, já que é uma mudança de comportamento incômoda.

Como a glicose não e absorvida pelas células, ela precisa ser eliminada pela urina, o que requer grandes quantidades de água.

E aí… É xixi a todo momento!

2 – Sede extrema

sede extrema diabetes em cachorro

Como no caso da diabetes em cachorro a eliminação de líquidos é excessiva, geralmente o cão sente muita sede.

Se seu amigo está bebendo água toda hora e parece continuar com sede, é um sinal de alerta para a diabetes canina!

3 – Xixi “açucarado”

Outra alteração comum em cachorros com diabetes é na composição da urina.

Algumas vezes, a presença de açúcar é tão forte que o xixi chega a atrair formigas, pois está “açucarado”.

4 – Mudanças no apetite

Cães diabéticos também sofrem com mudanças do apetite, para mais ou para menos.

Como a glicose não é bem aproveitada para geração de energia, o animal sente mais fome e passa a comer mais.

Mesmo assim, devido ao problema, alguns perdem peso, algo que chama bastante a atenção.

Por outro lado, a diabetes em cachorro pode deixar o pet debilitado, com ele passando a evitar a comida.

Portanto, qualquer mudança brusca de apetite deve ser bem avaliada.

5 – Letargia

Já é de se imaginar que sem energia, o cão pode demonstrar letargia e fraqueza.

Ele parece não ter o mesmo ânimo de antes para as atividades diárias…

Embora a letargia possa ser causada pela diabetes em cachorro, há outros motivos para essa “tristeza”.

Para saber quais são, clique aqui e confira um artigo especial sobre cachorro triste e deprimido.

6 – Problemas de vista

Quando não tratada corretamente, a diabetes em cachorro pode evoluir para problemas de visão.

Um dos principais é a catarata, na qual o cristalino – a lente do olho – fica opaca, atrapalhando o cão a enxergar.

Ela ocorre porque o descontrole da glicose leva ao acúmulo de líquidos nessa estrutura ocular.

Muitos tutores só descobrem a diabetes em cachorro quando notam que seu amigo está enxergando mal e o levam para uma consulta.

Mas quando chega a haver esse tipo de prejuízo à visão, significa que a diabetes já está instalada.

O ideal é descobri-la antes, para evitar que seu amiguinho fique com as vistas embaçadas. Daí a importância de sempre fazer um check-up veterinário.

Se evoluir, tanto a diabetes quanto a catarata podem até mesmo levar à cegueira!

Causas da diabetes em cachorro

Mas, afinal, o que causa a diabetes em cachorro?

Há diversos motivos. Alguns inclusive costumam ocorrer em conjunto. Veja:

Sedentarismo e obesidade

blank

Cães que não praticam atividade física tendem a ficar acima do peso.

E como todos sabemos, a obesidade é um fator de risco para o surgimento da diabetes em cachorro – e em humanos também!

Pancreatite

É a inflamação no pâncreas, órgão responsável pela produção de insulina.

Se ele tem a capacidade de produção do hormônio prejudicada, consequentemente haverá um descontrole da glicose no sangue.

Raça

Algumas raças de cães são geneticamente mais predispostas a terem diabetes, como:

  • Beagle
  • Bichon frisé
  • Cocker
  • Dachshund
  • Golden retriever
  • Labrador
  • Pinscher
  • Poodle
  • Pug
  • Schnauzer Miniatura
  • Spitz

Mas tenha consciência que nenhuma raça é uma sentença de diabetes em cachorro.

O fato de serem um pouco mais predispostos à doença não significa que eles necessariamente vão apresentar a diabetes canina.

Lembre-se que tudo depende de bons cuidados preventivos.

Por outro lado, não se descuide, pois cachorros de outras raças também podem desenvolver a doença.

Idade e sexo

Cães mais velhos têm maior tendência à diabetes – em geral a partir dos 5 anos de idade.

As fêmeas também costumam apresentar o problema com maior frequência.

Hiperlipidemia

A hiperlipidemia nada mais é do que o excesso de gordura no sangue, tanto o colesterol quando o triglicérides.

A desregulação desses níveis também são um fator de risco para a diabetes em cachorro.

Tratamentos, cuidados e prevenção para diabetes canina

Se seu cachorro recentemente recebeu o diagnóstico de diabetes, não é preciso se desesperar.

Agindo com responsabilidade seu amiguinho pode conviver bem com o problema.

Insulina

insulina

O tratamento comum para a diabetes são as aplicações contínuas da insulina, já que a doença não tem cura.

Então, seu cãozinho vai precisar de um acompanhamento constante, medindo sempre os níveis de glicose.

O veterinário indicará a dose de insulina de acordo com a necessidade. Siga sempre as orientações médicas!

Atividade física

Atividade física é fundamental para qualquer cão, e no caso da diabetes não é diferente.

Os exercícios ajudam tanto na prevenção como no tratamento.

Se seu amigo passeia, corre e brinca na quantidade adequada para gastar energia e manter o peso, ele estará mais protegido da doença.

Quando a diabetes em cachorro já está instalada, as atividades também não devem ser deixadas de lado, pois ajudam no controle da glicose no sangue.

Monitorando os níveis de glicose

É importante que o tutor faça sempre a medição dos níveis de glicose do cão.

Isso é feito com um aparelho específico, que funciona de forma parecida com o medidor para humanos.

Mas lembre-se que eles não são a mesma coisa: é necessário usar um medidor veterinário para aferir os níveis corretos!

Castração (para fêmeas)

No caso das fêmeas, a castração é um fator protetor contra a diabetes, além de ajudar quando já há a doença.

Cadelas não castradas produzem o hormônio progesterona após o cio, o que interfere na ação da insulina.

Com a castração, isso não ocorre mais, daí o efeito benéfico.

Alimentação correta

Atualmente existem rações voltadas exclusivamente para a alimentação de cães diabéticos.

Elas são feitas com ingredientes que visam o controle da glicemia, devendo ser indicadas pelo veterinário.

Agora, se você quer prevenir a diabetes, saiba que uma nutrição adequada é fundamental!

Atualmente, as rações oferecem os nutrientes básicos, mas ficam faltando vitaminas, minerais e micronutrientes que otimizam a saúde do seu cão.

Mas para o bem dos nossos amigos, hoje os suplementos para cachorros são também uma realidade!

O Longevi é o primeiro superalimento para cães. Ele contém tudo o que seu pet precisa para ter uma ótima saúde e se prevenir de doenças.

Veja como turbinar a alimentação do seu amigo com Longevi pode ajudar na prevenção da diabetes em cachorro:

Melhora da flora intestinal – O Longevi tem probióticos, bactérias boas que melhoram a flora intestinal, garantindo imunidade, energia e o fim do sedentarismo canino!

Fortalecimento dos músculos e ossos – Aminoácidos, como os presentes da spirulina, além de vitaminas e minerais, fortalecem o corpo para as atividades físicas que todo cachorro precisa fazer, prevenindo o excesso de peso!

Deixa a ração mais atrativa – O Longevi tem um delicioso sabor bacon, e deve ser misturado com a ração que você já dá para o seu cão. Assim ele vai comer tudo e ficar satisfeito, evitando que procure por alimentos errados que podem aumentar o risco de diabetes em cachorro.

Além disso, o Longevi tem 42 ingredientes naturais que auxiliam em várias outras áreas da saúde canina.

Quer saber tudo?

Então veja o que disse o Julinho Casares, que gravou um vídeo especial explicando por que ele indica e recomenda o Longevi.

Julinho é apresentador do programa Bom pra Cachorro e do quadro “Enquanto meu dono não vem”, da Record. É considerado por muitos um dos maiores nomes em comportamento animal do Brasil.

Clique aqui e assista! É hora do Longevi revolucionar a saúde do seu melhor amigo!

Compartilhe nas Redes Sociais

blank
O original e mais reconhecido supersuplemento

Supersuplemento é um suplemento com mais de 2 funções chave, como por exemplo, ajudar a diminuir queda de pelos e aumentar o apetite. Um supersuplemento consegue entregar isso por ter propriedades nutricionais cientificamente validadas a fortalecerem mais de um marcador de saúde.

blank

Por Redação Petvi

Acreditamos que a nutrição personalizada é a chave para uma vida feliz – e é por isso que nos esforçamos para fornecer ao seu animal de estimação as soluções nutricionais mais avançadas do mercado.

25/11/2020

Você também pode gostar de…

Send this to a friend