9 Causas da Coprofagia Canina e Como Resolver o Problema

Você já ouviu falar da coprofagia canina? À primeira vista, o nome parece estranho… E quando descobrimos o que é, parece mais estranho ainda!

Estamos falando do hábito de comer fezes, que ocorre em muitos cachorros.

Para nós, humanos, é uma prática que desperta nojo. Afinal, nada mais distante de nossa natureza.

Ao verem seus cachorros comendo cocô, muitos tutores ficam preocupados. E eles tem razão!

A coprofagia pode ser o indicativo de algum problema grave. E mais: pode ocasionar doenças sérias.

Então, se você quer ajudar o seu melhor amigo, acompanhe este artigo até o final. É hora de entender de vez por todas o que é a coprofagia canina e como resolvê-la!

A coprofagia na natureza

Vamos começar do início…

Para nós, cachorro comendo cocô é algo quase sempre assustador. Mas a coisa muda um pouco de figura no caso dos animais.

Para os canídeos, família que engloba tanto nossos cachorros quanto os cães selvagens, há alguns aspectos evolutivos envolvidos nesse hábito.

Para lobos, coiotes e, raposas o hábito de comer fezes tem diferentes funções, que variam dependendo do cocô:

Comer cocô de outros animais

Ocorre por que o animal busca por nutrientes. Na natureza, os cães selvagens podem precisar complementar a dieta.

Eles fazem isso se alimentando de fezes de pássaros, felinos, cavalos e outros animais selvagens.

As fezes de herbívoros, por exemplo, podem atraí-los por serem ricas em vegetais digeridos. Seu instinto e seu faro poderoso os levam naturalmente a procurar por isso.

Na natureza, a lei do mais forte impera e tudo precisa ser aproveitado para a sobrevivência!

Comer as próprias fezes

Entre os cães selvagens, o hábito de comer as próprias fezes pode também existir.

Ele geralmente está relacionado ao comportamento de matilha, indicando submissão ao animal em posição superior no grupo.

Sim, eu sei que neste momento você está se questionando:

“Meu cachorro não é um lobo nem uma raposa… Por que ele continua comendo cocô?”

coprofagia canina cachorro comendo coco

Sabemos que seu melhor amigo está longe de ser um animal selvagem. Afinal, nós domesticamos os cachorros a cerca de 500 mil anos, mais ou menos na era glacial!

Alguns instintos, portanto, podem permanecer. Mas é justamente por estar ligada à evolução que a coprofagia canina pode indicar problemas…

E é claro… A explicação não é só genética. Há outros motivos aos quais o tutor deve estar atento.

Cachorro comendo cocô: possíveis causas

Entenda agora um pouco mais sobre o que leva seu cão a comer as próprias fezes.

Alguns motivos são mais comuns e ocorrem com mais frequência, enquanto outros são mais raros.

Por isso, a lista abaixo pode ajudar, dando dicas de comportamentos que você talvez nem tenha notado ainda. Confira:

1 – Submissão a outros cães

Esse tipo de coprofagia canina costuma acontecer em casas onde há mais de um cachorro. Ou seja, eles sentem-se fazendo parte de uma verdadeira matilha!

Nesse caso, o instinto natural fala mais alto e o cão pode expressar sua submissão ao líder comendo cocô, assim como fazem seus primos distantes e selvagens.

2 – Coprofagia por associação com a comida

Uma dica muito importante para qualquer tutor iniciante é saber separar o local onde o cão faz as necessidades de onde ele tem acesso à comida.

Se o cachorro faz cocô próximo de onde fica a comida dele, com o tempo o animal pode associar os cheiros.

Lembre-se que nossos amigos têm um olfato dezenas de vezes mais potente que o nosso. Já imaginou a confusão gerada quando os odores de comida e fezes se misturam?

Junte isso ao fato de nossos pets aprenderem por associação e logo entenderemos por que a coprofagia pode estar relacionada ao local de alimentação.

3 – Fêmeas que acabaram de ter filhotes

Um motivo pouco conhecido para a coprofagia canina é o caso das fêmeas que tiveram filhotes recentemente.

Como se sabe, essas mamães cuidadosas estão sempre pensando em seus filhotinhos. Um exemplo é o fato delas comerem a placenta logo após o parto!

Às vezes, o mesmo acontece com as fezes. Pensando em higienizar o local para os filhotes, elas também podem instintivamente comê-las.

blank

4 – Raça

Embora não se saiba ao certo o porquê, algumas raças de cachorros parecem ser mais predispostas a terem o hábito de comer cocô.

Algumas pesquisas indicam que raças como o Pastor-de-shetland, Hounds, Terriers e cães menores costumam apresentar coprofagia canina mais frequentemente.

5 – Verminoses

Quando seu cachorro está com alguma verminose, suas fezes podem apresentar odores e até mesmo sabores mais atrativos.

Calma… Sabemos que isso parece não fazer muito sentido, mas na verdade é algo simples de se entender.

Certos vermes acabam prejudicando a absorção dos alimentos pelo organismo do cão.

Assim, muito do que ele come pode acabar indo parar no cocô, que passa a se tornar atraente ao olfato e ao paladar do animal. Já tinha pensado nisso?

6 – Mal funcionamento e doenças em certos órgãos internos

Além das verminoses, algumas doenças e mal funcionamento do organismo podem levar à má absorção dos alimentos.

Além disso, algumas condições de saúde fazem que o cachorro sinta necessidade de complementar a alimentação com nutrientes que não está conseguindo absorver. O resultado é a coprofagia canina.

É o caso de doenças nos intestinos ou deficiências hepáticas, que prejudicam a essa absorção. Inflamações do pâncreas, que produz enzimas digestivas, também estão ligadas a essa perda.

7 – Estresse

Casos de cães estressados têm se tornado cada vez mais comuns. Quando os cachorros não têm suas necessidades plenamente atendidas, eles podem desenvolver problemas como estresse e ansiedade.

Falta de atividade física, ansiedade de separação e outros fatores psicológicos podem levar o seu amigo a ter altos níveis de estresse. As consequências disso podem ser várias…

Certamente você já viu cachorros que comem calçados, destroem móveis, abrem burcas no jardim e parecem incontroláveis. Todos esses sinais podem indicar um cão estressado.

Agora, que uma novidade? A coprofagia canina pode também ser um desses sinais!

8 – Cachorro comendo cocô para escondê-lo do dono

Quando seu cachorro faz cocô no lugar errado, ele costuma levar uma grande bronca? Se sim, essa pode ser uma explicação para a coprofagia.

Algumas pessoas, mesmo com a boa intenção de educar o animal, acabam fazendo tudo da forma errada…

Elas gritam o cachorro e há até os que esfregam o focinho do pet no cocô, para que ele “aprenda” que não pode fazer as necessidades naquele local.

Mas ao contrário do que alguns pensam, isso é prejudicial. O cachorro pode não associar a bronca ao lugar, mas ao fato de você ter visto o cocô.

Assim, pensando em lhe obedecer e agradar, o cão aprende – de forma errada, é claro – que deve esconder as fezes.

E a resposta que ele acha para resolver a questão é simplesmente comer o cocô!

9 – Falta de nutrientes e alimentação ruim

Atualmente, esse é um dos motivos mais comuns da coprofagia canina.

A maior parte dos cachorros come rações que não contêm tudo o que eles necessitam para uma boa saúde, como:

  • Micronutrientes, vitaminas e minerais.
  • Enzimas digestivas e bactérias probióticas, aquelas conhecidas como “bactérias boas”, que ajudam na digestão.
  • Fibras, importantes também para a digestão e praticamente ausentes em alimentos secos e processados, como a maioria das rações.

Com resultado, os cães instintivamente procuram esses nutrientes em outro lugar. E assim como faziam seus ancestrais, os lobos e os coiotes, esse lugar pode ser as fezes.

O que a coprofagia pode causar no seu cachorro

blank

Agora, tenha muita atenção!

Falamos que os cães selvagens procuram por nutrientes nas fezes, mas lembre-se que eles vivem na natureza. Até mesmo por isso, eles têm uma expectativa de vida bem menor do que nossos amigos.

No caso dos nossos cachorros, a coprofagia pode trazer uma série de problemas.

Em primeiro lugar, como vimos, cachorro comendo cocô pode ser indicação de doenças mais sérias. Vale a pena ficar de olho para investigar a fundo.

Mas tem mais: as fezes podem conter bactérias nocivas, vírus, fungos e parasitas que causam verminoses e uma série de doenças.

E nós sabemos que você quer o melhor para saúde do seu melhor amigo, certo?

E então? Existe remédio para coprofagia canina?

Como vimos até agora, a coprofagia canina pode estar ligada tanto a fatores comportamentais e psicológicos quanto a doenças e deficiências nutricionais.

Geralmente, nós temos a tendência a pensar esses fatores de forma separada. Porém, está tudo interligado!

Você até pode tentar algumas estratégias para mudar o comportamento do seu cachorro. É só olhar os motivos listados nesse artigo para já pensar em estratégias para prevenir e tratar o problema.

Mas…

Ensinar o seu cão de forma efetiva requer que ele esteja saudável. Só assim se pode alterar os hábitos de forma permanente!

Assim, a maioria dos especialistas concorda que o melhor remédio para coprofagia canina é garantir saúde em dois eixos:

Na parte comportamental: ensinar de forma adequada os comportamentos certos e mudar os hábitos prejudiciais que estão levando seu pet à coprofagia.

Na parte alimentar: fornecer uma alimentação balanceada, com nutrientes, micronutrientes, probióticos, enzimas digestivas, vitaminas e minerais.

Resumindo, o que o seu melhor amigo precisa é algo que garanta esses dois pontos. Mas como?

Chega de cachorro comendo cocô!

A melhor indicação para os casos de coprofagia canina é o Longevi, o primeiro superalimento canino.

Ele é um blend com mais de 40 super nutrientes que ajudam justamente nesses dois quesitos, atacando a coprofagia em várias frentes. Veja:

1 – Nutrição

Ao consumir o Longevi, seu cão recebe todos os nutrientes e micronutrientes necessários.

Isso evitará nele aquele instinto de busca por nutrição em outros locais, como nas fezes dele e até de outros animais.

2 – Digestão

Essa fórmula exclusiva contém ainda probióticos e enzimas digestivas, garantindo que tudo o que for consumido vai ser de fato absorvido pelo organismo.

Assim, nada será mal digerido nem irá parar no cocô. Assim as fezes deixam de ser atraentes para o olfato e o paladar do pet.

3 – Inteligência

Garantindo saúde de forma integral por meio dos supernutrientes, seu cão fica mais esperto. O Longevi conta a spirulina, um micronutriente que promove reforço cognitivo.

Com ele, seu melhor amigo pode ficar mais inteligente e responder melhor ao treinamento.

É mais um reforço para mudar a parte comportamental, que como vimos tem forte influência na coprofagia canina.

Então, se você realmente quer dar um basta no problema, é hora de conhecer o Longevi. E ninguém melhor para explicar como ele funciona do que um especialista…

Clique aqui e assista um vídeo onde Julinho Casares, apresentador do programa Bom pra Cachorro e do quadro “Enquanto meu dono não vem”, da Record, dá todos os detalhes sobre esse super suplemento.

Coprofagia, nunca mais!

Compartilhe nas Redes Sociais

blank
O original e mais reconhecido supersuplemento

Supersuplemento é um suplemento com mais de 2 funções chave, como por exemplo, ajudar a diminuir queda de pelos e aumentar o apetite. Um supersuplemento consegue entregar isso por ter propriedades nutricionais cientificamente validadas a fortalecerem mais de um marcador de saúde.

Você também pode gostar de…

Nenhum resultado encontrado

A página que você solicitou não foi encontrada. Tente refinar sua pesquisa, ou use a navegação acima para localizar a postagem.

Send this to a friend