Cachorro triste: causas e como lidar com a depressão canina

blank

Por Redação Petvi

Acreditamos que a nutrição personalizada é a chave para uma vida feliz – e é por isso que nos esforçamos para fornecer ao seu animal de estimação as soluções nutricionais mais avançadas do mercado.

13/07/2020

Os cães podem sofrer de distúrbios de humor associados à depressão, assim como os seres humanos. Mas por que isso acontece? Como diagnosticar a depressão em cães? Qual é a solução?

Alterações no ambiente são uma das principais causas

A depressão nos cães geralmente é resultado de uma situação traumática. Mudanças repentinas podem levar a essa condição: a chegada de outro cão ou de um bebê, mudança de residência, alteração na rotina do dono, morte de outro animal de estimação ou de um membro da família, situações estressantes como uma briga com outro cachorro e até mesmo alterações no clima, como a chegada do inverno.

Além disso, a depressão também pode estar relacionada às decisões dos donos em relação aos animais de estimação, como a superproteção, a falta de estímulo à socialização com outros cães e à prática de exercícios. Esses comportamentos mostram a falta de um bom direcionamento por parte do dono e podem causar doenças mentais que levam ao o mau comportamento e à depressão.

Comportamentos que permitem identificar o problema

Nenhum cão é igual a outro. Enquanto algumas raças são conhecidas por serem hiperativas, como border collie, outras, como buldogue inglês, são famosos por serem muito preguiçosas.

Dentro de uma mesma raça, porém, os cães também têm temperamentos diferentes, influenciados por fatores como idade e adestramento. Conhecer a personalidade do cão é o primeiro passo para reconhecer a depressão.

Além disso, fique atento também aos seguintes sinais:

  • Perda de apetite;
  • Perda de peso;
  • Recusa em brincar com tutores ou outros pets;
  • Prostração;
  • Isolamento;
  • Agressividade repentina;
  • Olhar perdido e triste;
  • Lambedura excessiva (principalmente do focinho);
  • Bocejos e coceiras frequentes e sem motivo,
  • Automutilação em extremidades do corpo (cauda e patas).

Os sintomas são parecidos com a depressão em humanos.

Diagnóstico, tratamento e prevenção da depressão canina.

Quando o cão apresenta com frequência algum desses sintomas, o primeiro passo consiste em consultar um veterinário para identificar o problema. Os comportamentos mencionados podem ser consequência de algum problema físico e não estar necessariamente relacionados à depressão.

Dedicar mais tempo ao cão e mantê-lo ocupado. Se a causa do distúrbio é uma alteração no ambiente, como uma mudança de residência ou modificação nos horários do dono, a melhor saída é destinar um período do dia para passear com o cachorro. Isso ajuda na estimulação mental.

Além de seguir essas recomendações, não deixe de cuidar da saúde do seu cão e proporcionar mais energia para ele. Muitas vezes, a fonte desses problemas é uma dieta pobre em nutrientes essenciais para o cão e desbalanceada.

O Longevi pode ajudá-lo com isso. Esse super-suplemento canino possui os 42 nutrientes que os cães precisam para se manter ativos e saudáveis… além de possuir micronutrientes que regulam e potencializam a saúde física do cão, Longevi também possui ingredientes naturais que auxiliam no desenvolvimento cognitivo do cão, o que inclui a inteligência e a memória.

Compartilhe nas Redes Sociais

blank
O original e mais reconhecido supersuplemento

Supersuplemento é um suplemento com mais de 2 funções chave, como por exemplo, ajudar a diminuir queda de pelos e aumentar o apetite. Um supersuplemento consegue entregar isso por ter propriedades nutricionais cientificamente validadas a fortalecerem mais de um marcador de saúde.

blank

Por Redação Petvi

Acreditamos que a nutrição personalizada é a chave para uma vida feliz – e é por isso que nos esforçamos para fornecer ao seu animal de estimação as soluções nutricionais mais avançadas do mercado.

13/07/2020

Você também pode gostar de…

Send this to a friend