7 Ideias para Acalmar Cachorro com Medo de Fogos de Artifício

Quando chega o fim do ano, muitos tutores se preocupam com seus cães…

É nessa época, e especialmente na virada, que os fogos de artifício se transformam no pior pesadelo de muitos animais!

Embora as pessoas venham se conscientizando cada vez mais sobre o problema, ainda é bastante termos que conviver com os fogos.

Atualmente há várias técnicas e dicas para lidar com cachorro com medo de fogos de artifício.

A resposta dos cães diante delas varia, por isso é importante conhecer ao máximo as opções. Alguma pode ser a que vai deixar o seu amiguinho mais calmo durante as festas de fim de ano!

Então, acompanhe este artigo até o fim para ver as principais indicações. Assim você já pode ir se preparando para o momento da virada!

Cachorro com medo de fogos: qual o motivo?

Há muitas explicações para o medo que os cães sentem do barulho dos fogos. As principais são as seguintes.

Fatores biológicos

Em primeiro lugar, há o fator biológico. Cachorros têm uma audição muito mais apurada que a nossa.

Suas células auditivas, além de serem maiores, são também mais sensíveis ao som.

cachorro com medo de fogos de artifício

Eles podem identificar mais frequências sonoras, e é por isso que às vezes escutam barulhos que nós sequer percebemos!

Se os sons dos fogos são altos para nós, imagina para nossos amiguinhos peludos! Não é de se estranhar que muitos fiquem assustados.

Fatores psicológicos

Além do fato óbvio de os cães ouvirem mais, há também fatores psicológicos que costumam estar envolvidos nos casos de cachorro com medo de fogos.

Afinal, eles não fazem ideia de onde vem o som, e esse susto, que acontece de repente, pode ser interpretado como uma ameaça.

Soma-se a isso outros fatores, como a falta de costume do animal com barulhos desse tipo e até traumas, quando o cão já passou por situações estressantes com sons de fogos e tende a rememorar a experiência ruim.

Algumas das dicas a seguir agem diretamente na tentativa de minimizar esses fatores psicológicos, tendo como consequência a redução do medo.

Dicas para acalmar cachorro com medo de fogos de artifício

Veja agora as principais técnicas usadas para lidar com um cachorro com medo de fogos.

Você pode testar todas elas para ver qual se adequa melhor às necessidades do pet.

1 – Ensine desde cedo

Uma das formas mais eficazes de resolver o problema do seu cachorro com medo de fogos ou outros barulhos, como trovões e chuva, é o adestramento desde cedo.

O objetivo é que o cãozinho se acostume com os barulhos. Para isso, você vai precisar treiná-lo.

Coloque sons de fogos em algum vídeo ou áudio para ele escutar, em volume baixo, e associe o barulho a algo positivo.

Brinque ou ofereça petiscos que ele goste, junto com o som. Assim, o cãozinho vai associar o barulho às coisas que gosta.

Ao notar que ele já não se importa com os fogos e se mostra calmo, aumente a intensidade do treino subindo o volume.

Fazendo esse treinamento com frequência, o animal vai aprender que não há nada de errado quando os verdadeiros barulhos de fogos começarem.

Esse é um treino que funciona muito bem em filhotes, mas é claro que também pode ser feito com cães adultos. Alguns deles respondem positivamente.

Mas é preciso ser persistente, pois os resultados não ocorrem de uma hora pra outra ou com poucos treinos, certo?

Aquela famosa frase “prevenir é melhor que remediar” também vale para cachorro com medos de fogos de artifício, porém, é um processo.

Deve-se ter paciência até que ele se acostume!

2 – Técnica da faixa para cachorro com medo de fogos

Uma técnica muito procurada e também com bons resultados é a de amarrar uma faixa ao redor do cão.

Esse método consiste em passar uma atadura ou pano pelo corpo do pet, dando sensação de segurança.

Muitos tutores relatam que o animal realmente fica mais calmo ao sentir o toque promovido pelo método nos pontos específicos do corpinho.

A indicação mais comum é passar a faixa pelo pescoço, e de forma contínua dar duas voltas pelo tórax, envolvendo-o e terminando com um nó ou laço próximo à coluna.

Nesse caso, é importante também treiná-lo antes, deixando-o com a faixa entre 10 e 15 minutos algumas vezes por semana.

Se você colocar apenas no momento do medo, ele pode associar o pano ao barulho, e a técnica não vai funcionar.

3 – Garanta a segurança do pet

Se o você já tem um cachorro com medo de fogos em casa, é extremamente importante pensar na segurança dele!

O fim de ano é um período em que muitos cachorros fogem, desorientados na hora dos barulhos.

Então, certifique-se sempre de que ele não fique em um local onde consiga escapar. Cheque portas, portões e janelas.

Também não é indicado deixar o cão amarrado na coleira, pois ele pode tentar correr e acabar se machucando.

Alguns cães instintivamente têm um local que procuram nos momentos de medo.

Se o seu amiguinho possui um esconderijo preferido onde se sente mais calmo, deixe ele ter acesso. Prepare o local com conforto, água, comida e até objetos que ele gosta.

A natureza é sábia, e quando ele já sabe o que fazer, melhor respeitar essa independência.

blank

Por outro lado, há animais que ficam mais tranquilos com a presença do tutor. Então, tudo depende de como seu pet se porta.

Se ele se sente mais calmo escondido e sozinho, deixe-o tranquilo. Se fica mais calmo com você, fique com ele!

Os especialistas em comportamento canino alertam apenas para evitar fazer carinho sempre o animal se mostrar com medo, pois ele pode entender que isso é uma recompensa pelo comportamento, o que pode até piorar a situação.

Então, apenas mantenha a calma e esteja presente.

4 – Tente minimizar o barulho

Uma outra opção para cachorro com medo de fogos de artifício é tentar minimizar o som.

Fechar as janelas ou colocar uma música mais alta e calma, por exemplo, pode distrai-lo e reduzir o barulho.

Nem sempre essa será uma solução 100% eficaz, mas ajuda em casos extremos a garantir um pouco mais de bem-estar ao pet.

Colocar chumaços de algodão nos ouvidos costuma também reduzir o barulho, mas é algo que deve ser feito com cuidado.

Tudo depende de como seu cão se comporta.

Se ele ficar agitado demais ou incomodado com algo no ouvido, é melhor evitar, pois o efeito acaba sendo o oposto ao promover mais estresse.

5 – Distração também pode funcionar

Uma dica simples para os medrosos é tentar algum tipo de distração, como brincadeiras ou petiscos.

A ideia é chamar a atenção do pet para outras coisas, de preferência algo que goste, como no treinamento que mencionamos nas dicas anteriores.

No caso de um medo extremo essa ação pode não funcionar, pois seu amigo talvez não consiga tirar o foco do barulho. Mas vale a pena tentar!

6 – Existe remédio ou calmante para cachorro com medo de fogos?

Atualmente há no mercado produtos que prometem minimizar o medo de fogos ou outros barulhos em cães.

Alguns desses são mais naturais, como florais ou aromas voltados para acalmar o animal.

O ideal é que você converse com o veterinário para saber se são indicados para o seu pet, afinal, até produtos naturais podem apresentar contraindicações em alguns casos.

blank

Então, todo cuidado é pouco.

Por fim, há alguns cães com medo extremo, nos quais não é incomum a indicação de algum calmante ou remédio.

Esse tipo de animal costuma até mesmo sofrer efeitos físicos, como palpitação e falta de ar, correndo riscos de saúde.

É nesses casos que algum medicamento pode ser utilizado, mas novamente é fundamental que só o veterinário, que conhece o quadro de saúde do pet, indique algo e faça a receita.

7 – Atividade física e saúde mental

Um cachorro que se exercita regularmente, gastando energia física e mental, tende a ficar mais calmo em momentos que causam estresse.

Uma boa caminhada deixa o seu pet um pouco mais cansado e consequentemente relaxado.

É claro que você não deve exceder as capacidades do animal. Basta gastar um pouco de energia, e isso pode ajudar seu cachorro com medo de fogos de artifício!

Outra dica importante é garantir nutrição extra. A saúde mental do cão, assim como nos humanos, está diretamente ligada à alimentação.

O Longevi, primeiro suplemento alimentar para cães, tem uma fórmula com 42 nutrientes e micronutrientes que melhora não só a parte física, mas também a inteligência e o humor do seu amiguinho!

Ele tem, por exemplo, spirulina e vitamina B12, que atuam diretamente na saúde mental, deixando o cão mais equilibrado para todos os momentos.

Para saber um pouco mais sobre como funciona o Longevi e como ele promove a saúde integral do seu pet, o melhor é ouvir quem entende do assunto.

Julinho Casares, especialista em comportamento canino, apresentador do programa Bom pra Cachorro e do quadro “Enquanto meu dono não vem”, da Record, gravou um vídeo especial onde explica todos os benefícios desse super suplemento.

Clique aqui para assistir e dar um salto na nutrição do seu amigo!

Além de ajudar seu cachorro com medo de fogos de artifício, garanta a saúde e a longevidade dele todos os dias!

Compartilhe nas Redes Sociais

blank
O original e mais reconhecido supersuplemento

Supersuplemento é um suplemento com mais de 2 funções chave, como por exemplo, ajudar a diminuir queda de pelos e aumentar o apetite. Um supersuplemento consegue entregar isso por ter propriedades nutricionais cientificamente validadas a fortalecerem mais de um marcador de saúde.

Você também pode gostar de…

Send this to a friend